Você sabe por que o comportamento do adolescente pode oscilar tanto? Para responder a essa pergunta, é preciso compreender como funciona o cérebro na adolescência, órgão que só está plenamente formado na idade adulta, lá pelos 20 anos.

Isso explica muita coisa, não é? Com isso, os pais conseguem ter mais empatia ao lidar com filhos adolescentes, compreendendo-os e estimulando-os nas suas melhores potencialidades. Vamos falar sobre o assunto? Fique conosco nesta leitura!

Como funciona o cérebro na adolescência?

A adolescência é uma época de crescimento e desenvolvimento significativos para o cérebro humano, especialmente com a diminuição das sinapses neurais. Estas são cortadas se não são utilizadas; outras conexões, porém, são fortalecidas. Veja detalhes.

Córtex pré-frontal em desenvolvimento

O córtex pré-frontal é a parte do cérebro responsável pela tomada de decisões, capacidade de planejamento e controle de impulsos. Como essa região ainda está pré-formada, não é raro ver adolescentes cansados, monossilábicos, antissociais ou, até mesmo, agressivos e descontrolados. 

Por outro lado, uma parte do cérebro chamada amígdala compensa o córtex pré-frontal e guia a tomada de decisões e a resolução de problemas. A amígdala também está associada a emoções, impulsos, agressividade e comportamento instintivo.

Quais são suas particularidades?

Para ficar mais claro, vamos resumir as particularidades sobre o cérebro na adolescência:

  • o cérebro só termina de se desenvolver no início da fase adulta;
  • enquanto as sinapses borbulham na infância, na adolescência elas diminuem;
  • na adolescência o cérebro diminui, mas fica mais denso ― os neurônios não são prejudicados;
  • como o córtex pré-frontal (pensativo e lógico) não está formado, as amígdalas (emocional e reativa) tomam a frente.

Com base no estágio de desenvolvimento do cérebro ao longo da adolescência, os adolescentes são mais propensos a:

  • agir por impulso;
  • ler ou interpretar mal as emoções dos outros;
  • entrar em acidentes de todos os tipos;
  • envolver-se em brigas;
  • envolver-se em comportamento perigoso ou arriscado;
  • ter lentidão no raciocínio e apatia.

E necessidades?

Como o acesso ao córtex pré-frontal ainda não é pleno, os adolescentes têm dificuldade de enviar mensagens a si mesmos para manter o foco e prestar atenção. 

Além disso, vivem em busca de situações que despertem o prazer. Isso porque o sistema de recompensas ― responsável pela saciedade e prazer ― também está se transformando. 

Por isso, querem novidades, aventuras e desafios, às vezes, assumindo comportamentos de risco. Por outro lado, com boas orientações e oportunidades, também podem ter comportamentos fortes e saudáveis, que farão a diferença no futuro.

Seja qual for a decisão, o fato de o córtex pré-frontal não ser totalmente capaz de responder deixa o adolescente mais propenso a superestimar os potenciais positivos de uma situação e subestimar os potenciais negativos.

Como os pais podem ajudar nessa etapa?

O fato é que o corpo do adolescente se transforma muito mais rápido que seu cérebro, motivo pelo qual precisam da constante orientação de pais e professores. Veja aqui algumas dicas para você ajudar seu(sua) filho(a).

Mantenha organização na rotina

Com um cérebro tão inteligente e ativo, é preciso que os pais imponham uma organização na rotina dos filhos, desde o descanso até regular o uso do celular. Inclusive, o sono é um importante restaurador para a saúde física e mental dos adolescentes.

Invista no diálogo

Não é porque o cérebro está em formação que os adolescentes não conseguem entender regras, nem debater suas atitudes e comportamentos. Nesse sentido, invista no diálogo respeitoso e tenha empatia com esse momento da vida dos filhos.

Estimule atividades físicas e intelectuais

Adolescentes precisam de atividades físicas, por conta do desenvolvimento corporal, para evitar o sedentarismo, melhorar a postura e muito mais. Mas também necessitam de atividades que incentivem a ginástica para o cérebro, a fim de melhorarem o raciocínio lógico, a capacidade de resolver problemas e a concentração nas atividades escolares.

Para terminar, agora que você já conhece como funciona o cérebro na adolescência, lembre-se de que os adultos têm um papel essencial na formação desses meninos e meninas. Então, ser um exemplo para eles como pais e educadores contribui enormemente para seu desenvolvimento cerebral até a fase adulta.

Gostou deste post? Então, assine nossa newsletter para receber em seu e-mail conteúdos exclusivos sobre inteligência, saúde mental e aprendizagem!

Categorias: Sem categoria

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.