Projeto Viv@ digital é um braço do SUPERA na capital paranaense; projeção é que população de idosos chegue a 17% na capital do Paraná em 2022

Comprar pela internet, pedir um Uber, assistir a um culto religioso ou procurar uma receita no Google.

Tarefas simples que se tornaram cotidianas para milhões de idosos no Brasil que estão sendo obrigados a ficar mais tempo dentro de casa por conta do isolamento imposto pela pandemia do Corona Vírus.

Em Curitiba o projeto Viv@ Digital, curso de inclusão digital para idosos oferecido pelo SUPERA, viu sua demanda aumentar entre o público 60+ nos últimos meses, motivada principalmente pelas necessidades trazidas pela pandemia.

Como a inclusão digital está mudando a vida de idosos em Curitiba - SUPERA - Ginástica para o Cérebro
Viv@ Digital: idosos usando mais o celular

Inclusão Digital em Curitiba

O Viv@ Digital existe desde 2018 na rede SUPERA. A unidade Curitiba foi habilitada para o projeto recentemente, ainda em tempo de conseguir absorver a procura dos idosos justamente quando eles mais precisaram estar na rede.

O curso prioriza uma linguagem simples e de fácil compreensão, um diferencial que tem impacto significativo na vida dos idosos curitibanos

“O Viv@ Digital é uma iniciativa que concebemos com muito carinho que atende os nossos alunos 60+ nas suas realidades cotidianas e somado aos estímulos que já oferecemos com a ginástica para o cérebro, o Viv@ Digital oferece mais autonomia e liberdade para um público que só cresce em Curitiba”, pontou Bárbara Perpétuo, diretora de Gestão de Franquias do SUPERA.

População de idosos em ascendência   

E só cresce mesmo. A constatação foi feita Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) que identificou que em 2022 a capital do Paraná terá 332,6 mil habitantes acima dos 60 anos, cerca de 17,16% da população da cidade.

Em dois anos o público 60+ deve superar a população com menos de 14 anos. Em 2040, o instituto prevê 544,5 mil curitibanos idosos, representando um quarto de toda a população da cidade.

Como a inclusão digital está mudando a vida de idosos em Curitiba - SUPERA - Ginástica para o Cérebro
Curitiba é a primeira cidade a ter o Viv@ Digital

Os dados apontam não só para a inversão da pirâmide etária e a necessidade de políticas públicas para a cidade, mas também uma nova forma de enxergar o público idoso, que começa pela inclusão digital dessa população.

“Algo bom que a pandemia trouxe é este senso de que é possível estar no mundo digital e que os idosos precisam melhorar a forma como estão nestes ambientes. Entre os nossos alunos o sentimento é exatamente este: estava faltando um curso assim na cidade”

Adriano Saldanha, franqueado SUPERA – Curitiba | Juvevê.

Inclusão digital na pandemia

A unidade SUPERA Curitiba – Juvevê foi a primeira do Brasil a oferecer o Viv@ Digital. No curso, os alunos aprendem desde comandos simples – como ligar o celular e tirar selfies até entender mapas, pedir um uber, comida ou pagar contas pelo celular.

A procura pelo curso foi motivada principalmente por idosos interessados em assistir religiosos pela internet, procurar receitas e resolver problemas simples do dia a dia.

Alguns alunos relataram que já haviam feito cursos semelhantes, mas sem apresentar uma evolução significativa no uso do celular.

“A grande diferença do Viv@ Digital é que as aulas não são ministradas por professores de informática, mas sim por educadores que tem muita empatia com o público 60+, saber lidar com esse público faz toda diferença”, detalhou Adriano Saldanha, franqueado SUPERA – Curitiba | Juvevê.

Categorias: Idosos

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *